Vida Humana: Precisamos aceitar o inevitável!

0
123

Gostaríamos de iniciar este artigo, inserindo uma fala ou expressão que costumamos usar muito em nosso cotidiano, ao afirmamos que: – a vida não é fácil para ninguém! No entanto, algumas pessoas tem melhores oportunidades do que outras. Por isso, se a oportunidade lhe bater á porta, agarre-a logo, pois nem sempre ela virá novamente para você.

Neste sentido, a abordagem que iremos apresentar no decorrer deste texto, estará mais voltada para um público especial, isto é, para pessoas que estão enfrentando um grande e complexo problema: o uso abusivo de substâncias químicas (perderam totalmente o controle), sejam elas lícitas (o álcool, o tabaco e seus derivados e certos medicamentos), sejam elas ilícitas (a maconha, a cocaína, o crack, o ecstasy etc.).

Acreditamos, que muitas pessoas estão vivendo esta situação no momento atual. E de que algumas delas poderão vir a ler este artigo. Mesmo ainda que não se deram conta, de que perderam o controle do uso descontrolado de algum tipo de droga (lícita ou ilícita). Provavelmente, elas podem estar no período da ignorância, ou seja, não possuem o conhecimento sobre a substância psicotrópica que estão usando regularmente (sua composição e o modo do preparo para consumo) e acerca dos riscos e graves consequências que podem advir de seu uso prolongado (drogadição)1.

Pode ser também, que elas podem estar no período da negação, isto é, acreditam que podem parar o uso e consumo a hora que quiserem. Aqueles que ainda pensam assim, dificilmente aceitam o conselho de um familiar ou de um amigo e, muito menos, passa em sua cabeça, procurar por um tratamento especializado, quer seja de um psicólogo (ou psiquiatra) ou, ainda, por uma internação voluntária (comunidade terapêutica).

Por isso, para aqueles que não conhecem e nem estão passando por este terrível problema, gostaríamos de apresentar-lhes um texto que é usado constantemente para um grupo especial de pessoas, que é muito conhecido em nível mundial como: Grupo de Mútua Ajuda dos Alcoólicos Anônimos (A.A.). E o texto a que estamos nos referindo, é conhecido como a “Oração da Serenidade”.

“Que Deus me dê a serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar; coragem para mudar aquelas que eu posso e sabedoria para saber distinguir uma da outra”.

Não sei quanto a você, mas costumo vê-la sendo usada em vários filmes e em séries que assisto em casa. Mas, voltando para o nosso tema, temos que entender que a vida nos prega inúmeras surpresas, e que muitas coisas acontecem sem que saibamos ou, até mesmo, possamos preveni-las. O mais importante, em nossa ótica, não é tentar saber o motivo deste ou daquele acontecimento. Muito menos, a razão pela qual veio a afetar você ou determinada pessoa.

Como reza esta oração, precisamos aceitar aquilo que não temos como mudar, mas também, quando existe uma pequena possibilidade de fazermos diferente, não podemos deixar passar. E desta oração, queremos destacar algumas palavras que consideramos importantes: Serenidade, Aceitar, Coragem e Sabedoria.

1. Serenidade: ela é entendida como o sentimento daquilo que está tranquilo, ou daquilo que é manso ou suave. Ela pode ainda ser entendida ou interpretada pela qualidade ou estado do que “é” sereno. É o caso da pessoa que expressa tranquilidade diante de situações inusitadas e complexas. Essa pessoa demonstra em suas atitudes, ter Equilíbrio, Paz e Tranquilidade de Espírito.

No caso dos alcoolistas, outro termo muito comum e conhecido entre eles, é a sobriedade, que comporta em um dos seus significados “Qualidade, condição ou o estado de quem “é” ou “do que é” sóbrio. Uma pessoa que é ou está em estado de sobriedade, apresenta-se com atitudes moderadas, isto é, mantém-se em equilíbrio, tranquila e mansa, mesmo em circunstâncias adversas.

1 Pedro 5:8-9. Sede sóbrio, vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão bramando, buscando a quem possa tragar.

Neste texto, ela faz alusão a qualquer pessoa que não está sob o efeito de bebidas alcoólicas (Destiladas ou Fermentadas). Procurando estar no pleno controle de sua vontade e bastante vigilante (atento), para ter equilíbrio e domínio próprio.

2. Aceitar: Muitas vezes, nesta vida, precisamos aceitar aquilo que interpretamos como inaceitável. Por exemplo; o diagnóstico de uma doença, o envelhecimento, a perda de um ente querido (alcançado pela morte); a dor e o sofrimento; a internação hospitalar ou numa clínica terapêutica para tratamento do uso abusivo de drogas, uma separação conjugal, entre outras coisas. Percebe-se que situações como estas, não são muito fáceis de serem aceitas. No entanto, muitos de nós, passaremos por algumas delas e, quando vier a acontecer, não poderemos fazer nada para mudá-las.

3. Coragem: Se houver a possibilidade de fazermos alguma coisa para mudar uma situação complicada, mas que vai exigir muita coragem e somente você é quem pode tomar esta atitude, não podemos deixar o medo nos paralisar. Mesmo sabendo que esta decisão vai exigir muito esforço e que poderá trazer muita dor e sofrimento. Nós, os seres humanos (especialmente, os homens), somos muito resistentes às mudanças. E tem muitas coisas que pensamos ser impossíveis de serem mudadas. Vamos ver algumas delas:

a) A Injustiça Social: é muita desigualdade vivida pelas pessoas de uma mesma sociedade, de um mesmo povo e de uma mesma nação. São poucos ou uma pequena parcela da população com todos os direitos e garantias, enquanto que a maioria desta mesma sociedade, vive em tremenda miséria. Em outras palavras, são poucos com muito, e muitos sem nada.

b) A Corrupção Humana: Nós, Cristãos, sabemos que o homem já nasce com sua natureza corrompida ou herança pecaminosa (pecado original de Adão e Eva), mesmo assim, a situação em que estamos vivendo (principalmente no Brasil), nos assustam. São tantas “falcatruas” (logro, engano) com o envolvimento de pessoas com cargos e posições elevadas, que nos surpreendem.

Isaías 5:21-23. Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos! Ai dos que são poderosos para beber vinho, e homens de poder para misturar bebida forte; dos que justificam ao ímpio por suborno, e aos justos negam a justiça! (grifamos)

(…)

Romanos 3:23. O apóstolo Paulo escreve que “(…) todos pecaram (se corromperam) e destituídos estão da glória de Deus”.

Não foi dado aos seres humanos, o poder de promover com suas próprias forças (ou mãos) a “lavagem e purificação” de suas maldades, mas somente ao Filho do Homem – Jesus Cristo.

4. Sabedoria: esta palavra tem origem no idioma grego – “sophia”, que identifica ou designa uma forma superior de conhecimento caracterizado por supremo ser vital, influindo na vida de quem a possui: “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida” (cf. Tiago 1:5).

5. Distinguir: é ter a capacidade de julgar (discernir) corretamente e agir de forma prudente, pois assim, você poderá prever os perigos e evitá-los. Portanto, as pessoas que se entregam totalmente a corrupção (ou ao pecado), não conseguem enxergar (distinguir) esta diferença, pois não veem que existe outra alternativa ou forma de viver.

Para efeito de conhecimento geral, como falamos acerca do Grupo de Mútua Ajuda dos Alcoólicos Anônimos (A.A.), finalizaremos este artigo, com os Doze Passos do A.A. que são usados nas Terapias (reuniões terapêuticas) com pessoas em processo de reabilitação. Acrescentamos alguns textos Bíblicos, por entendemos fazer menção acerca do mesmo assunto.

1º Passo: Devemos admitir que somos impotentes perante às drogas, que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas. (cf. Romanos 7:18);

2º Passo: Viemos a acreditar que um Poder Superior a nós mesmos poderia devolver-nos a sanidade. (cf. Filipenses 2:13);

3º Passo: Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que O concebíamos. (cf. Romanos 12:1);

4º Passo: Fizemos minucioso e destemido inventário moral (relação detalhada de bens deixados para serem partilhados após sua morte) de nós mesmos. (cf. Mateus 23:25-26);

5º Passo: Admitimos perante Deus, perante nós mesmos e perante os outros, a natureza de nossas falhas. (cf. Tiago 5:16);

6º Passo: Nos prontificamos inteiramente a deixar que Deus remova todos os meus defeitos de caráter. (cf. Tiago 4:10);

7º Passo: Humildemente rogamos a Ele que nos livre de nossas imperfeições. (cf. 1 João 1:9);

8º Passo: Fizemos uma relação de todas pessoas a quem tenhamos prejudicado e nos dispusemos a reparar os danos causados a elas. (cf. Lucas 6:31);

9º Passo: Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas, sempre que possível, salvo quando fazê-lo signifique prejudicá-las ou a outrem. (cf. Mateus 5:23-24);

10º Passo: Continuamos fazendo o inventário pessoal e, quando estávamos errados, o admitíamos prontamente. (cf. 1 Coríntios 10:12);

11º Passo: Procuramos, por meio da Oração e Meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, (…), rogando apenas o conhecimento de sua vontade sobre nossas vidas, e força para realizar essa vontade. (cf. Colossenses 3:16; 1 Pedro 4:1-2);

12º Passo: Tendo experimentado um despertar espiritual, graças a esses passos, procuramos transmitir esta mensagem aos alcoolistas e toxicômanos e a praticar esses princípios em todas as nossas atividades. (cf. Gálatas 6:1-2)

Amigos, tive o privilégio de trabalhar com Dependentes Químicos por aproximadamente 5 anos, onde aprendi com eles esta maravilhosa Oração da Serenidade e, com meus Colegas de Trabalho, os Doze Passos dos Alcoólicos Anônimos.

Acrescentei entre parênteses, algumas referências Bíblicas que não são mencionadas na Reunião Diária dos grupos de A.A., mas que servirão de suporte “Espiritual” para aqueles que estão vivendo e passando por esta triste e dolorosa etapa de suas vidas. Que Deus os abençoe!

Só Por Hoje!!!

1 Medicina. Aquele que não consegue abandonar um costume ou hábito nocivo a sua saúde (ou vida).

Compartilhe